sábado, 29 de julho de 2017

ALMAS GÊMEAS (ou SEXOS GÊMEOS)


Autor: Porto de Carvalho
Escrito em 24/7/2017

Alma gêmea não existe. Você romântico/a pode procurar em qualquer lugar e época, e não achará a sua. Porém existem várias almas quase gêmeas para todos nós.

Esse negócio de procurar a alma gêmea pode levar a uma busca incansável pelo impossível para o resto da vida. Vocês já repararam que muitos cantores que cantam o amor sexual, cantores românticos, costumam se apaixonar várias vezes, logo se casar e se separar várias vezes? Então... é que foram/são hierarquizados para uma busca incansável pelo amor perfeito, inclusive as músicas que cantam demonstram isso e os levam a (re)acreditar nessa utopia. Mas alma gêmea não existe, repito. O que existe é o dia a dia cheio das imperfeições daquela que consideramos nossa alma gêmea. Aí, vem a separação. Porém, com fé, o romântico parte para a próxima paixão e, se possível for, para mais uma e mais uma. Essa busca é um tipo de imaturidade sexual.

Outro tipo de imaturidade sexual é o da pessoa que prioriza a beleza física. Não é à toa que são os homens, quase todos imaturos, ou as mocinhas, tipo aquelas de fãs clubes, feias, e/ou rejeitadas, e/ou com baixa autoestima, que costumam agir assim. Por isso, é mais comum a valorização extrema da beleza acontecer na pré-adolescência e na adolescência. Porém, no caso dos homens, costuma continuar vigorosa a vida inteira. Com a maturidade, outros valores, muito mais importantes, passam a ser considerados pelos amantes. Mas muitas pessoas não amadurecem sexualmente nunca.

Repito: alma gêmea não existe. O que existe é corpo gêmeo. Mesmo assim, os corpos para serem gêmeos têm que ser da mesma placenta e, mesmo neste caso, só o corpo é gêmeo. Para vocês terem uma ideia, apesar de possuírem o mesmo genoma, os gêmeos univitelinos têm impressões digitais diferentes. Assim, se seu irmão gêmeo monozigótico cometer um crime e colocar a culpa em você, não se preocupe: aponte o dedo para ele e depois carimbe o dedo na delegacia. Estará livre. E a diferença vai além: gêmeos univitelinos têm personalidades diferentes, logo desejos e sonhos diferentes. É uma outra cabeça, cérebro que se vai formando, logo uma outra alma. A alma é a consciência que nós temos de nós mesmos como seres individuais. Só isso. Logo, alma existe, mas só existe enquanto estamos vivos. Espere aí... ou será que as consciências ficam vagando pelos universos e, depois, entram em outros corpos? As informações não se perdem nem mesmo quando passam por buracos negros...

Agora uma coisa interessante com relação aos gêmeos (todos) é que é comum se encontrarem gêmeos, independentemente do sexo, com a mesma sexualidade. Será por quê? Sei que a sexualidade não é definida biologicamente. Talvez a hierarquização quanto à sexualidade já comece no ventre da mãe, mas num processo de fora para dentro, em que os estímulos exteriores afetam aqueles que estão no interior...

De qualquer forma, o que interessa é que seja permitido que os gêmeos (na verdade, todas as pessoas) possam encontrar o amor onde queiram, inclusive em pessoas de sexo gêmeo a eles (a população não aumenta.) e que a busca infantil pela alma gêmea continue a nos levar às relações, aos filhos e à sobrevivência da espécie (a população geralmente aumenta.). Hoje em dia, a população não aumentar é melhor para todos os seres do planeta.



2 comentários:

  1. Concordo em gênero, número e grau! Também acho imaturas essas pessoas, homens e mulheres, que só se preocupam com a beleza física, aff, e têm aqueles que envelhecem e ficam ainda piores... Texto enxuto, objetivo e bem escrito! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Ariadne, pelos elogios. Infelizmente, estamos numa sociedade imatura, uma sociedade da beleza. Um abraço, Porto de Carvalho

      Excluir